COVID-19

Manter-se informado é a melhor maneira de evitar a COVID-19.
Por isso, lembre-se sempre que #SaberSalvaVidas.

Saiba

A COVID-19 é uma nova doença respiratória que foi identificada pela primeira vez em Wuhan, China. Atualmente, a propagação ocorre principalmente de pessoa a pessoa.

Síntomas*

SINTOMAS COMUNS

CASOS GRAVES

*Os sintomas podem aparecer de 1 a 12 dias depois da exposição ao vírus.

Quem são os que estão em maior risco de adoecer gravemente?

  • Adultos com mais de 60 anos.


  • Pessoas com doenças pré-existentes tais como diabetes ou cardiopatias.

Como é a transmissão?

  • Por contato pessoal próximo com uma pessoa infectada.


  • Através de pessoas infectadas, por tosse ou espirro.


  • Ao tocar em objetos ou superfícies contaminadas e depois tocar na boca, nariz ou olhos.



Até o momento, não existe vacina nem tratamento específico, somente tratamento dos sintomas.
Os casos graves podem precisar de oxigênio suplementar e ventilação mecânica.

PREPARE-SE

  • Informe-se através de fontes confiáveis.

  • Lave as mãos com frequência com água e sabão ou use álcool em gel.

  • Cubra a boca com o antebraço ao tossir ou espirrar, ou com um lenço descartável e depois jogue-o no lixo e limpe as mãos.

AJA

  • Evite o contato próximo com pessoas que tenham sintomas de gripe.

  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

  • Evite compartilhar copos, pratos ou outros itens de uso pessoal e limpe e desinfete objetos e superfícies tocados com frequência.

  • Se você viajou para áreas onde o vírus circula ou esteve em contato próximo com alguém que o possui e você estiver com febre, tosse ou falta de ar, procure atendimento médico imediatamente. Não se automedique.

Nota: Alguns dados podem sofrer alterações a medida que se tenha mais conhecimento sobre a enfermidade.
Fevereiro 2020. Fonte: OMS (Organização Mundial da Saúde)

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A DOENÇA POR CORONAVÍRUS (COVID-19)

Fonte: OMS (Organização Mundial da Saúde):

O QUE É CORONAVÍRUS?

Os coronavírus são uma extensa família de vírus que podem causar doenças em animais e humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias que podem variar do resfriado comum a doenças mais graves, como a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda grave (SARS).  O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença de coronavírus COVID-19.

O QUE É A COVID-19?

A COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo coronavírus recentemente descoberto. Tanto o novo vírus quanto a doença eram desconhecidos antes do início do surto em Wuhan (China), em dezembro de 2019.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA COVID-19?

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca.  Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, coriza, dor de garganta ou diarréia. Esses sintomas costumam ser leves, aparecendo em forma gradativa. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas, nem passam mal. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem a necessidade de qualquer tratamento especial. Cerca de 1 a cada 6 pessoas que contraem a COVID-19 desenvolve uma doença grave e apresenta falta de ar. As pessoas idosas e portadoras de doenças crônicas como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares ou diabetes são as mais propensas a desenvolver uma doença grave. Cerca de 2% das pessoas que contraíram a doença morreram. Aquelas pessoas que apresentem febre, tosse e falta de ar devem procurar atendimento médico.

COMO ACONTECE A PROPAGAÇÃO DA COVID-19?

Uma pessoa pode contrair a COVID-19 por contato com outra que tenha sido infectada pelo vírus. A doença pode se propagar de pessoa a pessoa, através das gotículas provenientes do nariz ou da boca que são expelidas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra. Pequenas gotas com o vírus podem contaminar superfícies e objetos que circundam a pessoa e, posteriormente, infectar com COVID-19 outras pessoas que colocam as mãos nesses locais e depois levam as mãos aos olhos, nariz ou boca. O contágio também pode acontecer ao inalar as gotículas espalhadas por uma pessoa portadora de COVID-19 ao tossir ou exalar. Por isso é importante ficar a mais de 1 metro (3 pés) de distância de uma pessoa que esteja doente.

A OMS está estudando as pesquisas em andamento sobre as formas de propagação da COVID-19 e continuará atualizando as informações sobre os resultados obtidos.

O VÍRUS QUE CAUSA A COVID-19 PODE SER TRANSMITIDO ATRAVÉS DO AR?

Até o momento, os estudos realizados assinalam que o vírus causador da COVID-19 é principalmente transmitido pelo contato com gotículas respiratórias, mais do que pelo ar. Veja a resposta à pergunta anterior «Como acontece a propagação da Covid-19?

A CONTAMINAÇÃO DA COVID-19 PODE ACONTECER POR CONTATO COM UMA PESSOA QUE NÃO APRESENTE SINTOMA NENHUM?

O modo principal de propagação da doença é através das gotículas respiratórias exaladas por uma pessoa ao tossir. O risco de contrair a COVID-19 de alguém que não apresente sintomas é muito baixo. Porém, muitas das pessoas que contraíram a COVID-19 só apresentam sintomas leves. Isso acontece particularmente nas primeiras fases da doença. Portanto, é possível se contaminar de alguém que, por exemplo, tenha somente tosse leve e não se sinta doente. A OMS está estudando as pesquisas em andamento sobre as formas de propagação da COVID-19 e continuará atualizando as informações sobre os resultados obtidos.

É POSSÍVEL CONTRAIR A COVID-19 POR CONTATO COM AS FEZES DE UMA PESSOA QUE ESTEJA PADECENDO DA DOENÇA?

O risco de contrair a COVID-19 por contato com as fezes de uma pessoa contaminada parece ser baixo. Embora inicialmente as pesquisas assinalem que o vírus pode estar presente nas fezes algumas vezes, a propagação por essa via não constitui um dos traços característicos do surto. A OMS está estudando as pesquisas em andamento sobre as formas de propagação da COVID-19 e continuará atualizando as informações sobre os novos resultados. Porém, é um risco e, portanto, é mais uma razão para lavar as mãos frequentemente, depois de ir ao toalete e antes das refeições.

O QUE POSSO FAZER PARA ME PROTEGER E PARA PREVENIR A PROPAGAÇÃO DA DOENÇA?

Medidas de proteção para todas as pessoas:
Fique à par das informações mais recentes sobre o surto de COVID-19, que podem ser acessadas no site da OMS e através das autoridades de saúde pública pertinentes no nível federal e local. Foram registrados casos em muitos países de todo o mundo e em vários deles houve surtos. As autoridades chinesas e de outros países conseguiram demorar ou deter o avanço dos surtos, mas a situação é imprevisível e é necessário verificar regularmente as notícias mais recentes.

Diversas precauções podem ser adotadas para reduzir a probabilidade de contrair ou contagiar a COVID-19

  • Lave as mãos de forma correta e frequentemente usando desinfetante à base de álcool ou água e sabão.
    Por quê? Lavar as mãos com água e sabão ou usando desinfetante à base de álcool mata os vírus que podem estar em suas mãos.
  • Fique a uma distância mínima de 1 metro (3 pés) de qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando.
    Por quê? Quando alguém tosse ou espirra, exala pelo nariz ou a boca gotículas de líquido que podem conter o vírus. Se você estiver muito perto, poderia respirar as gotículas, e, com elas, o vírus da COVID-19, caso a pessoa que estiver tossindo for portadora da doença.
  • Evite tocar nos olhos, no nariz e na boca.
    Por quê? As mãos costumam tocar muitas superfícies e poderiam coletar vírus. Depois de contaminadas, as mãos poderiam transferir o vírus para os olhos, o nariz ou a boca. A partir daí, o vírus pode entrar no seu corpo e causar a doença.
  • Certifique-se que tanto você quanto as pessoas que se encontram ao seu redor realizem uma correta higiene das vias respiratórias. Isso significa que você deve cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço de papel ao tossir ou espirrar. O lenço usado deve ser imediatamente descartado.
    Por quê? A propagação dos vírus acontece através das gotículas. Mantendo uma correta higiene respiratória, você está protegendo as pessoas ao seu redor de vírus tais como o do resfriado, o da gripe e o da COVID-19.
  • Fique em casa se não estiver se sentindo bem. Se você apresentar febre, tosse e falta de ar, deve procurar atendimento médico e ligar com antecedência. Siga as instruções das autoridades sanitárias locais.
    Por quê? As autoridades federais e locais terão as informações mais atualizadas sobre a situação de sua área. Ligar com antecedência permitirá que seu prestador de serviços de saúde o direcione rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também irá protegê-lo, ajudando a prevenir a propagação do vírus e outras infecções.
  • Fique à par das últimas novidades ligadas à COVID-19. Siga os conselhos do seu prestador de serviços de saúde, das autoridades sanitárias pertinentes no nível federal e local ou de seu empregador sobre a maneira de proteger a si mesmo e aos outros diante da COVID-19.
    Por quê? As autoridades federais e locais terão as informações mais atualizadas sobre se a COVID-19 está sendo propagada na sua área. Estas autoridades são os interlocutores mais indicados para oferecer conselhos sobre o que as pessoas de sua área devem fazer para se proteger.
  • Consulte as notícias mais recentes sobre as zonas de maior risco (isto é, as cidades e locais onde a doença está sendo mais extensamente propagada). Se possível, evite se deslocar para essas áreas, sobretudo se você for idoso ou portador de doenças como diabetes, cardiopatias ou pneumopatias.
    Por quê? Estas precauções devem ser adotadas nessas áreas, dado que a probabilidade de contaminação por COVID-19 é mais alta.

Medidas de proteção para aquelas pessoas que se encontram em áreas onde a COVID-19 está se propagando ou que as visitaram recentemente (nos últimos 14 dias)

  • Siga as diretrizes descritas acima (Medidas de proteção para todas as pessoas)
  • Se começar a sentir-se doente, fique em casa, mesmo se tratando de sintomas leves tais como dor de cabeça, febre leve (37,3 °C ou mais) e coriza leve, até se recuperar. Se for indispensável sair de casa ou receber uma visita (por exemplo, para comprar alimentos), coloque uma máscara para não contaminar outras pessoas.
    Por quê? Evitar o contato com outras pessoas e visitas a centros de saúde permitirá que os centros funcionem mais eficazmente, ajudando a proteger você e outras pessoas de outras possíveis infecções devido ao vírus da COVID-19 ou outros.
  • Na presença de febre, tosse e falta de ar, procure aconselhamento médico imediatamente, já que isso poderia acontecer devido a uma infecção respiratória ou a outra doença grave. Ligue com antecedência e informe o seu prestador de serviços de saúde sobre quaisquer viagens recentes que você tenha feito ou qualquer contato que tenha tido com viajantes.
    Por quê? Ligar com antecedência permitirá que seu prestador de serviços de saúde o direcione rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também ajudará a prevenir a propagação do vírus e outras infecções.

QUAL É A PROBABILIDADE DE QUE EU VENHA A CONTRAIR A COVID-19?

O risco depende do lugar onde você se encontre e, mais concretamente, de se nesse lugar está acontecendo um surto de COVID-19.

Para a maioria das pessoas que se encontram em quase todos os lugares, o risco de contrair essa doença continua sendo baixo. No entanto, sabemos que existem alguns lugares (cidades ou áreas) onde a doença está se propagando e o risco de contaminação é maior, tanto para as pessoas que moram neles quanto para as que os visitam. Os governos e as autoridades sanitárias têm atuado com determinação toda vez que é detetado um novo caso de COVID-19. É importante que todos nós respeitemos as restrições relativas a viagens, deslocamentos e aglomerações de pessoas vigentes em cada local específico. Se cooperarmos com as medidas de combate à doença, reduziremos o risco que cada um de nós corre de ser contaminado ou de propagá-la.

Como já foi comprovado na China e em outros países, é possível interromper os surtos da COVID-19 e acabar com sua transmissão. No entanto, a grande velocidade com que novos surtos podem aparecer nos obriga a ficarmos cientes da situação nos locais onde nos encontrarmos ou para onde pretendamos ir. A OMS publica atualizações diárias sobre a situação da COVID-19 no mundo, as quais podem ser consultadas em inglês, na página https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/situation-reports/.

EU DEVO ME PREOCUPAR PELA COVID-19?

De modo geral, os sintomas da COVID-19 são leves, sobretudo nas crianças e nos adultos jovens. No entanto, eles também podem ser graves, obrigando a que cerca de um a cada cinco contaminados seja hospitalizado. Portanto, é bastante normal se preocupar pelos efeitos que o surto de COVID-19 poderia ter em nós e naqueles que amamos.

A preocupação deve nos ajudar para a adoção de medidas de proteção para nós, para a nossa família e para a comunidade onde moramos. A medida principal e mais importante é a higiene frequente e completa das mãos e das vias respiratórias. Em segundo lugar, é importante manter-se informado e seguir os conselhos das autoridades sanitárias locais, como aqueles relativos a viagens, deslocamentos e eventos onde possa haver muitas pessoas. Você pode consultar os conselhos sobre proteção na página

https://www.who.int/es/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public.

QUEM CORRE O RISCO DE DESENVOLVER UMA DOENÇA GRAVE?

Ainda há muito a se aprender sobre como a COVID-2019 afeta os seres humanos, mas parece que pessoas mais velhas e pessoas com condições médicas pré-existentes (como hipertensão, doenças cardíacas ou diabetes) desenvolvem casos graves da doença com mais frequência do que outros.

OS ANTIBIÓTICOS SÃO EFICAZES NA PREVENÇÃO OU TRATAMENTO DE COVID-19?

Não. Os antibióticos não são eficazes contra vírus, apenas contra infecções bacterianas.  A COVID-19 é causada por um vírus, portanto, os antibióticos não funcionam contra ela.  Antibióticos não devem ser usados como um meio para prevenir ou tratar a COVID-19. Só devem ser usados para tratar infecções bacterianas seguindo as instruções de um médico.

EXISTEM MEDICAMENTOS OU TERAPIAS QUE PERMITAM PREVENIR OU CURAR A COVID-19?

Embora alguns remédios ocidentais, tradicionais ou domésticos possam proporcionar conforto e aliviar os sintomas da COVID-19, não existem evidências de que os medicamentos atuais possam prevenir ou curar a doença.  A OMS não recomenda a automedicação, principalmente com antibióticos, para prevenir ou curar a COVID-19. Existem diversos ensaios clínicos em andamento com medicamentos ocidentais e tradicionais. A OMS facilitará informações atualizadas assim que os resultados dos ensaios clínicos estiverem disponíveis.

EXISTE ALGUMA VACINA, MEDICAMENTO OU TRATAMENTO PARA A COVID-19?

Ainda não. Até o momento, não há vacina ou medicamento antiviral específico para prevenir ou tratar a COVID-2019.  No entanto, as pessoas afetadas devem receber assistência médica para aliviar os sintomas.  Pessoas com casos graves da doença devem ser hospitalizadas.  A maioria dos pacientes se recupera com a ajuda de medidas de apoio.

Possíveis vacinas e diferentes tratamentos farmacológicos específicos estão sendo pesquisados. Existem ensaios clínicos em andamento para testá-los. A OMS está coordenando os esforços direcionados ao desenvolvimento de vacinas e medicamentos para a prevenção e tratamento da COVID-19.

As maneiras mais eficazes de proteger você e outras pessoas da COVID-19 são: lavar as mãos com frequência, cobrir a boca com o cotovelo ou um lenço de papel ao tossir e manter uma distância de pelo menos 1 metro (3 pés) com pessoas que tossem ou espirram. (Veja «O que posso fazer para me proteger e para prevenir a propagação da doença?)

A COVID-19 E O SARS SÃO A MESMA COISA?

Não. O genoma do vírus que provoca a COVID-19 e o responsável pela síndrome respiratória aguda grave (SARS) são semelhantes, mas não são os mesmos. O SARS é mais letal, mas muito menos infeccioso do que a COVID-19. Desde 2003, não foram registrados surtos de SARS em nenhum lugar do mundo.

DEVO USAR UMA MÁSCARA PARA ME PROTEGER?

Se os sintomas respiratórios característicos da COVID-19 não aparecerem (especialmente tosse) ou se você não cuidar de uma pessoa que pode ter contraído essa doença, não é necessário usar uma máscara clínica. Lembre-se de que as máscaras descartáveis só podem ser usadas uma vez e que, se você não estiver doente ou não cuidar de alguém, estará desperdiçando uma máscara. O estoque mundial de máscaras está se esgotando e a OMS recomenda que elas sejam usadas com sensatez.

A OMS aconselha utilizar as máscaras clínicas de modo racional para não desperdiçar nem usar de forma indevida utensílios valiosos (Veja o texto Quando e como usar máscara).

Diante da COVID-19, as maneiras mais eficazes de proteger você e outras pessoas são: lavar as mãos com frequência, cobrir a boca com o cotovelo ou um lenço de papel ao tossir e manter uma distância de pelo menos 1 metro (3 pés) com pessoas que tossem ou espirram. Para obter mais informações a esse respeito, consulte as medidas básicas de proteção contra o novo coronavírus.

COMO COLOCAR, USAR, TIRAR E DESCARTAR UMA MÁSCARA

  1. Lembre-se de que apenas profissionais de saúde, cuidadores e pessoas com sintomas respiratórios, como febre e tosse, devem usar uma máscara.
  2. Antes de tocar na máscara, lave as mãos usando álcool em gel ou água e sabão.
  3. Certifique-se que a máscara não esteja rasgada ou furada.
  4. Vire-a para cima (onde a tira de metal está localizada).
  5. Certifique-se de orientar para fora o lado correto da máscara (o lado colorido).
  6. Coloque a máscara no seu rosto. Aperte a tira de metal ou a borda rígida da máscara para que ela se adapte à forma do seu nariz.
  7. Puxe a parte inferior da máscara para cobrir a boca e o queixo.
  8. Após o uso, remova a máscara; remova as tiras elásticas por trás das orelhas, mantendo a máscara afastada do rosto e das roupas, para não tocar nas superfícies potencialmente contaminadas da máscara.
  9. Descarte a máscara em um recipiente fechado imediatamente após o uso.
  10. Lave as mãos depois de tocar ou descartar a máscara. Use desinfetante à base de álcool gel ou, se estiverem visivelmente sujas, lave-as com água e sabão.

QUANTO TEMPO DURA O PERÍODO DE INCUBAÇÃO DA COVID-19?

O “período de incubação” é o tempo entre a infecção pelo vírus e o aparecimento dos sintomas da doença. A maioria das estimativas para o período de incubação da COVID-19 varia de 1 a 14 dias e geralmente é de cerca de cinco dias.  Essas estimativas serão atualizadas à medida que mais dados estiverem disponíveis.

HUMANOS PODEM CONTRAIR O VÍRUS DA COVID-19 PELO CONTATO COM UM ANIMAL?

Os coronavírus são uma extensa família de vírus que são comuns entre morcegos e outros animais. Em raras ocasiões, as pessoas são infectadas por esses vírus, que podem se espalhar para outras pessoas.  Por exemplo, o SARS-CoV foi associado às civetas e o MERS-CoV é transmitido através dos dromedários.  A possível origem animal da COVID-19 ainda não foi confirmada.

Como medida de segurança, quem for visitar mercados de animais vivos, ou em outras situações similares, deve evitar o contato direto com os animais e com as superfícies em contato com eles.  Certifique-se de que, em todo momento, sejam observadas práticas adequadas de higiene dos alimentos.  Tome providências ao manipular carne, leite ou órgãos de animais crus para evitar a contaminação de alimentos não cozidos e evite consumir produtos de animais crus ou pouco cozidos.

MEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO PODE ME INFECTAR COM A COVID-19?

Embora tenha havido um caso de um cachorro infectado em Hong Kong, até o momento não há evidências de que um cão, gato ou qualquer animal de estimação possa transmitir a COVID-19. A COVID-19 é propagada principalmente através das gotículas produzidas por uma pessoa infetada ao tossir, espirrar ou falar. Para se proteger, lave as mãos de forma correta e frequentemente.

A OMS está à par das últimas pesquisas a esse respeito e sobre outras questões relacionadas com a COVID-19 e fornecerá informações atualizadas sobre as conclusões obtidas.

QUANTO TEMPO O VÍRUS SOBREVIVE EM UMA SUPERFÍCIE?

Não se sabe por quanto tempo o vírus causador da COVID-19 sobrevive em uma superfície, mas parece se comportar como outros coronavírus.  Estudos realizados (incluindo informações preliminares disponíveis sobre o vírus da COVID-19) indicam que o coronavírus pode subsistir em uma superfície por algumas horas ou vários dias. O tempo pode variar de acordo com as condições (por exemplo, o tipo de superfície, a temperatura ou a umidade do ambiente).

Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante comum para matar o vírus e, assim, proteger você e os outros.  Lave as mãos com desinfetante à base de álcool gel ou com água e sabão.  Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.

É SEGURO RECEBER UMA ENCOMENDA DE UMA ÁREA ONDE FORAM RELATADOS CASOS DE COVID-19?

Sim. A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar itens comerciais é baixa, e o risco de contrair o vírus que causa a COVID-19 pelo contato com uma embalagem que foi manipulada, transportada e exposta a diferentes condições e temperaturas também é baixo.

EXISTE ALGO QUE EU NÃO DEVA FAZER?

As seguintes medidas NÃO são eficazes contra a COVID-2019 e podem ser prejudiciais:

  • Fumar
  • Usar várias máscaras
  • Tomar antibióticos (Veja «Existem medicamentos ou terapias que permitam prevenir ou curar a COVID-19?»)

De qualquer forma, se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico o mais rápido possível para reduzir o risco de desenvolver uma infecção mais grave e informe o seu prestador de serviços de saúde sobre suas viagens recentes.

PARA OBTER MAIS INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Se quiser obter mais informações, conselhos e diretrizes da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre o novo surto da doença por coronavírus (COVID-19), acesse o link a seguir: